quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

I'm pregnant

Escrito por uma ex-stripper, estrelado pela bonitinha Ellen Page [de Hardy Candy ou 'meninamá.com', como preferir-haha], vencedor do Oscar 'indie' de Melhor Roteiro Original [Little Miss Sunshine e Eternal Sunshine of a Spotless Mind ganharam um desse], dirigido pelo 'Thank you for smoking' Jason Reitman. E todas as outras 5489687 mil coisas legais que você já deve ter ouvido por aí.

Juno é uma gracinha
e sua trilha sonora não podia ser diferente.
aliás, o post é uma desculpa só pra colocar o link aqui. :)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Cadáveres e tortas

Estréia nesta sexta (dia 8) o fruto de mais uma parceria Tim Burton-Johnny Depp (isso sem contar com a Helena Bonham Carter). Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet conta com roteiro adaptado de John Logan da obra de Stephen Sondheim, além de grande elenco. Depp interpreta um barbeiro inglês que retorna à cidade para se vingar do juiz que o baniu. Com o pseudônimo de Sweeney Todd ele reabre a barbearia e assassina seus clientes. Uni-se então à doceira Mrs. Lovett (Carter) que utiliza dos corpos para produzir deliciosas tortas que viram sucesso em Londres. Deixando bem claro que odeio escrever sinopses :) Elenco: Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Alan Rickman, Sacha Baron Cohen, Laura Michelle Kelly, Timothy Spall, Jamie Campbell Bower, Ed Sanders, Jayne Wisener. Fotografia de Dariusz Wolski. Produzido por John Logan, Laurie MacDonald, Walter F. Parkes, Richard D. Zanuck. Direção de Tim Burton. O filme consquistou o prêmio em duas categorias do Globo de Ouro desse ano. Melhor filme (na categoria comédia/musical) e Melhor Ator (comédia/musical) para Johnny Depp. A música é assinada por Stephen Sondheim. Mas o legal mesmo é o fato de termos o Profº Snape, Rabicho e Borat no mesmo filme. trailer legendado

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Less is more

Desculpem a demora, talvez isso soe muito "out" mas eu preciso escrever sobre o show de José González do último dia 22, aqui em São Paulo, no Sesc Vila Mariana.
José Gonzalez é argentino mas mora na Suécia desde criança, o cara manda muito bem. Seu som tem alguma influência de Ben Harper e lembra pra caramba Bob Dylan e afins. O show em questão fez parte da segunda turnê do cantor pelo Brasil, pra divulgar o disco In your Nature e quem não foi perdeu um grande espetáculo por apenas 15 reais, o que comprova que para ver shows bons nem sempre precisa pagar tão caro.
No palco José tinha como companhia apenas seu violão, um microfone e caixas de som, e isso bastava. A tendência do minimalismo se aplicou perfeitamente ali, e onde menos é mais, menos representava o suficiente para encher qualquer espaço naquele teatro, tornando-o cheio de aplausos, suspiros, e olhos brilhando.
Vermelho em Heartbeats, azul em Down the Line, o sueco cumpriu muito bem o seu dever, e fez isso ora o mais tranquilo possível, como se estivesse tocando só para amigos ou para si, ora o mais concentrado que conseguia, levando a sério o que sabe fazer de melhor. E ainda teve o tão batido Biz, com Crosses, o grande hit de Venner, o primeiro CD de sua carreira, e uma cover de Love Will Tear Us Apart, de Joy Division, totalmente diferente da original, mas igualmente genial.
ps: roubei a foto daqui

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Do buraco da agulha

Fotografia estenopeica. Simples e barata. [além de legal, claro] Praticada com as câmeras pinhole, consiste em fotografias tiradas com uma 'caixa' onde não penetre luz, com um furo de agulha [o menor possível] de um lado e papel fotográfico do outro. A imagem é fixada por meio da reação química do papel e depois revelada com revelador, interruptor e fixador. Para que fiquem boas [nítidas], é preciso uma abertura de 0,5mm ou menos e tempo de exposição maior do que as câmeras comuns [varia de segundos a vários minutos]. Como obturador, pode ser o usado o dedo mesmo ou qualquer material que não penetre luz. O efeito é bem interessante e as fotos saem bem bonitas.